E-mail: ostomiasemfronteiras@yahoo.com.br

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Depoimento de Milton José Rodovalho Moreira de Lima


Meu nome é Milton José Rodovalho Moreira de Lima. Nome grande não acham? Mas podem me chamar de Milton Mirote. A minha história é a seguinte. No fim de 2003, eu tinha cólicas estomacais de vez em quando, sem motivo aparente. No ano de 2004 essas cólicas começaram a ficar muito fortes. Comecei a emagrecer muito, ia ao médico e eles nunca souberam dizer bem o que era.
No fim de 2004, também comecei a apresentar os primeiros sintomas do transtorno bipolar. Transtorno que veio a ser diagnosticado mais tarde em mim. Mas como esse blog não se fala sobre transtorno bipolar, vou dar mais enfoque ao assunto da ostomia e depois fazer a ligação com meu transtorno mental.
No início de 2005, eu e meu irmão fomos passear na minha avó que mora no sul do Pará. E foi lá que comecei a ter umas cólicas estomacais e intestinais muito forte. Vomitava tudo o que comia! E a dor era insuportável! Meus avós me levaram em Ourilândia, que era a cidade mais próxima. Fiquei internado por duas semanas, só na base de soro. O médico não sabia dizer o que estava acontecendo comigo, pois o hospital não tinha muitos recursos. Fui transportado em um pequeno avião para Redenção, uma cidade mais evoluída, onde fiquei internado.
Minha mãe estava me acompanhando. Só me tratei lá por certo tempo e o médico disse que não precisaria de cirurgia, pois era ameba que estava obstruindo meu intestino e o tratamento tinha sido suficiente. Mas ele estava enganado! Quando eu e minha mãe estávamos indo para Paragominas, cidade que fica no norte de Pará, para qual tínhamos mudado, comecei a sentir muitas dores.
Cheguei com muita dor na casa do meu tio, e não consegui dormir. O jeito foi ir para o hospital municipal. Chegando lá fui medicado e  o médico que me atendeu foi enfático ao dizer que teria que passar por uma cirurgia.
No outro dia então fui pra sala de cirurgia. Eles aplicaram a anestesia geral, nisso eu apaguei! Quando acordei, estava na enfermaria e minha mãe estava sentada ao meu lado. Nisso eu ouvi um barulho que vinha da minha barriga, quando olhei para ela, estava lá a ileostomia e dela saía só bilis, aquele líquido verde ardia mito quando saía. E saía direto pra uma bolsa plástica descartável. Fiquei apavorado quando vi aquilo. Depois veio o médico e disse que provavelmente a minha ileostomia seria temporária.
Minha mãe então me contou o que estava me dando tanta dor. Os médicos tinham mostrado para ela o que eu tinha no meu intestino. Tinha ovos maiores que bolinha de gude no intestino grosso e delgado, e os ovos que estavam no intestino delgado, estavam obstruindo-o. Por isso eu vomitava tanto. Eles não sabiam dizer de qual espécie de parasita eram aqueles ovos. Só sabiam dizer que os parasitas tinham infeccionado meu intestino e que eles tiveram que tirar cerca 20 cm do intestino grosso e 50 cm do delgado. E que no momento não dava para religar o intestino, pois estava muito inflamado. Teria que esperar 3 meses, me tratando, até a inflamação sarar. Fiquei um mês no hospital, só tomava suco, água e soro na veia.
Quando saí do hospital, ficava praticamente em casa, custava a sair de casa. E foram na verdade 2 meses e meio usando a bolsa. Eu lembro que tinha muitos pesadelos. Tive um pesadelo extremamente realista que vermes saiam da minha barriga quando levantava pra tomar banho, esse foi o pesadelo que mais me lembro de todos que tive.
No inicio, eu usava bolsas descartáveis, depois passei a usar a bolsa semi-descartável, que durava até 15 dias. De vez em quando, dependendo do que eu comia, eu tinha dores na barriga, pois não queria sair pela ileostomia.
Finalmente fiz a reversão da ileostomia. E depois disso eu comecei a ter surtos psicóticos e mesmo ainda me recuperando da cirurgia não conseguia ficar quieto, felizmente isso não me deu muitas complicações, a não ser uma cicatriz feia na barriga. E outra coisa que notei que acontecia muito, eram as frequentes idas ao banheiro para evacuar. No inicio eram mais de 6 vezes por dia. Aquilo estava me incomodando muito.
Foi depois do ano de 2005 que comecei a apresentar muitos sintomas do transtorno bipolar, que só veio a ser diagnosticado em 2008. Para quem não sabe, o transtorno bipolar é a mudança brusca de fase eufórica e da depressão.
Pois bem, quando vem a fase de depressão é que me sinto mal, e toda a dificuldade na vida, me deixa mais deprimido ainda. Uma coisa que estava me deixando muito deprimido foi essa sequela de ir mais vezes ao banheiro para evacuar que o normal. Ficava me perguntando: "Como é que eu vou poder trabalhar ou estudar se quase toda hora preciso ir ao banheiro?"
Hoje eu vou de 4 a 6 vezes por dia ao banheiro evacuar e isso me incomoda muito. Até que resolvi procurar na internet depoimentos de ex-ostomizados, que tem esse mesmo problema. Encontrei o blog Ostomia sem fronteiras, troquei e-mails com a Cláudia, que é ex-ostomizada, e me contou que ela e o irmão, que já foram ostomizados, têm esse mesmo problema com idas frequentes ao banheiro.
E o blog também me animou, quando li outros depoimentos de pessoas que são ostomizadas definitivas, mas que mesmo assim conseguem ter uma vida feliz. Então isso começou a me levantar o astral e me fez sentir melhor, pois vi que a dificuldade dos ostomizados definitivos é maior que a minha que sou ex-ostomizado e que qualquer um deles creio eu, preferiria mil vezes mais ter que ir no banheiro 4 ou 6 vezes por dia, pra evacuar fezes pastosas ou aquosas, do que usar ostomia definitiva.
Hoje conheci uma planta chamada avelós, a qual estou tomando cerca 12 gotas do seu látex misturados em 2 litros de água, e isso já faz quase um mês e parece que está curando uma provável inflamação no intestino. Por isso que estou indo hoje, de 3 a 4 vezes ao máximo no banheiro. Eu recomendo a quem tem mal de chron a tomar avelós, ou quem tem cancer, pois esta planta comum no norte e nordeste, cura até cancer e uma porção de doenças e é antiinflamatório. Mas dependendo do estágio do cancer, se recomenda tomar até mais de uma gota do latex por dia. Procurem se informa com seu médico sobre o avelós e seu tratamento natural na internet.
Então levantei a cabeça e hoje sigo em frente, me sentindo grato por ser ex-ostomizado e ainda bipolar, penso que minha vida poderia ser bem pior se fosse ostomizado definitivo e bipolar.
Eu não tenho o que reclamar da minha vida, ainda mais vendo o exemplo de muitos ostomizados que são felizes. O que quero mesmo hoje é tratar meu transtorno bipolar, até conseguir um autocontrole o suficiente para não precisar mais de remédio. E depois disso, colocar meus projetos em frente. Pois eu sou um cara de sorte, bem nascido, minha família tem uma boa condição financeira e eu posso até mesmo cuidar dos negócios da família futuramente.
Eu só tenho 27 anos e se existem ostomizados que conseguem serem felizes mesmo sendo ostomizados definitivos, também serei feliz sendo ex-ostomizado, mesmo tendo sequelas e mesmo sendo bipolar. E torço para que um dia, com avanço da ciência com as células tronco, venham a beneficiar principalmente o ostomizado, para que ele possa voltar a ter uma vida normal.
Somos vencedores! Porque suportamos muitas adversidades da vida e ainda suportamos certas dificuldades que tanto ostomizados e ex-ostomizados tem. Que Deus nos abençoe para completarmos felizes essa longa jornada que se chama vida, a qual passamos aqui na Terra. 

12 comentários:

  1. minha esposa será revertida daqui +/- 2 meses. Ela tem 1 mês que é ostomizada. Obrigado pelo seu depoimento.

    ResponderExcluir
  2. Olha...Sou ostomizada desde que nasci e hoje aos 26 anos posso dizer que sou plenamente feliz. Talvez não tivesse a chance de descobrir tal felicidade se não tivesse passado por tudo o que passei.
    Viviani Mattos

    ResponderExcluir
  3. Bom dia. Sou ostomizada temporária há três meses, estou me adaptando muito bem a essa minha nova realidade, mas estou desde já com muito medo de passar por uma possível cirurgia de reversão. Tenho dois filhos lindos uma de 11 anos e um de 5 meses e não quero perder essa vida maravilhosa que levo. Algum depoimento de reversão com sucesso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde!!!!
      Eu sou ostomizada definitiva, mas o meu irmão e a minha irmã fizeram a reversão e estão super bem!

      Abraços

      Excluir
  4. oi eu sou ex ostomizada! fiquei 9 meses e tirei foi um sucesso para honra e gloria do Senhor! hoje sou um milagre usei pq tive meu intestino perfurado e o ovario infecsionadomapos um lindo parto normal! mais Deus ficou no controle de tudo!

    ResponderExcluir
  5. oi, meu esposo e ostomizado, a 9 meses, teve câncer de intestino grosso e retirou o reto que estava comprometido tambem, estamos aguardando para cirurgia de reversão para o proximo mes de agosto..estou confiante que vai dar certo em nome do senhor Jesus!!!

    ResponderExcluir
  6. ola meu nome é ana meu pai fez a reversão a 1 mês ele esta bem mas sente muita dor no meio da barriga perto do umbigo sera q essa dor é normal? e se for demora p passar? ele diz q quando ele deita ai passa .......se puder responder eu agradeço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde,
      Nós acreditamos que não seja normal! Será que não pode ser cólica por gases? Seria melhor vocês procurarem o médico para uma avaliação!
      Obrigada por visitar o nosso blog!!!

      Excluir
    2. obrigada já fomos no médico e ele diz ser normal pois na barriga há muitos músculos e quando eles são rompidos há mesmo muita dor , mas gostaria de saber se dor de barriga a cólica mesmo é normal ter pq meu pai vive com dor, as vezes ela vem bem agressiva q ele até sua frio e as vezes ela fica uma dorzinha chataaaa por horas....é normal? até quando ele vai sentir isso?

      Excluir
    3. Boa tarde,
      Pode estar relacionado à alimentação do seu pai, se ele comer alimentos que causam gases, ou que tenha muita fibra pode dar cólica!

      Excluir
  7. Eu tenho 52 anos e sou ostomizada a 8 meses,eu tive fecalomas muito grande,foi preciso tirar 60 cm de intestino pois as fezes estavam petrificadas,fiquei 40 dias sem ir aos pés,os médicos não sabiam o que fazer,tomei laxantes fiz vários enemas (lavagem intestinal)nada resolvia,até ir ao hospital e lá fiquei,o cirurgião veio conversar comigo e o meu desespero era tamanho,minha barriga parecia que eu estava grávida de gêmeos com 8 meses,em fim não quis saber detalhes,só falei ao médico quero ficar viva faça o que é preciso..escapei da morte um segundinho..não vou disser que é fácil,mas estar viva vale o sacrifício,hoje eu espero pela reversão.Rezo e agradeço a Deus e aos meus familiares sem eles eu nada seria.

    ResponderExcluir